quarta-feira, 8 de outubro de 2008

2008 - Lisboa-Dakar (05-01)




Caros bloguistas / filatelistas:


Neste bloco, composto por quatro selos, aparecem pilotos Portugueses que, infelizmente, não tiveram oportunidade de mostrar o seu valor na prova deste ano, uma vez que a mesma foi cancelada.

"A colecção de 60 mil exemplares (cada bloco com o valor facial de 2,75 euros) sendo os selos que constituem os blocos de 1,25 euros, 75, 45 e 30 cêntimos (cada um deles retrata veículos que já participaram no Lisboa-Dakar sob as cores portuguesas). O selo de 1,25 euros representa o camião de Rainer Weigart. No de 75 cêntimos aparece o quatro-rodas de Carlos Sousa. Os selos de 45 e 30 cêntimos retratam as motos de Hélder Rodrigues e Ruben Faria.

Salientado o facto da a partida para a prova ter estada marcada para Belém, frente ao Mosteiro dos Jerónimos, os Correios apresentam esta emissão como uma "homenagem a uma aventura do espírito humano que, do mesmo ponto de partida e à semelhança da gesta de Quinhentos, une as margens dos oceanos de areia estreitando laços entre povos e civilizações".

In http://www.dakar.iol.pt/noticia.php?id=899310

Ficam os selos para nos recordar, para a posteridade, esta situação.

Até à proxima!

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

2008 - Ano Polar Internacional (23/06)




Caros bloguistas / filatelistas:

Eis a 3ª e última parte da oferenda de A Cris N. Impagável, não acham? Uma excelente escolha, de uma excelente amiga! Bem haja!!!

"Portugal foi um país pioneiro na exploração dos oceanos das altas latitudes, com navegadores como João Vaz Corte-Real que descobriu a Terra Nova e a Península do Labrador, ou Fernão de Magalhães que navegou nas águas austrais, descobrindo a Terra do Fogo, no sul da Argentina e do Chile.

Depois de cerca de 500 anos afastado das regiões polares, Portugal renovou o seu interesse nas altas latitudes através de uma forte participação no Ano Polar Internacional 2007-08. Foi fundado o Programa Polar Português e criado um ambicioso projecto educativo que visa aproximar a ciência polar da sociedade.

(...)

Contudo, poucos são aqueles que sabem que algumas das aves que frequentam a costa portuguesa nos chegam das regiões polares. Incansáveis viajantes, deslocam-se, sazonalmente, milhares de quilómetros, desde o Árctico e o Antárctico, de modo a beneficiarem das condições temperadas do litoral português. A presente edição de selos pretende dar a conhecer algumas destas aves, com as quais frequentemente nos cruzamos, sem que nos apercebamos de onde vieram.

A Gaivina-do-Árctico (Sterna paradisaea) cujas longas migrações ligam o Árctico à Antárctida, passando pelas águas portuguesas, é, sem dúvida, a espécie mais emblemática.

Uma ave muito comum no litoral português, o Pilrito-das-praias (Calidris alba), nidifica no Alto Árctico, em terras tão distantes como a Gronelândia, a Sibéria ou a ilha de Ellesmere.

Já o Paínho-casquilho (Oceanites oceanicus) é, por excelência, o representante da Antárctida, nidificando nas ilhas daquele continente gelado.

Finalmente, aparece a Torda-mergulheira (Alca torda), que nidifica nas arribas do Árctico e inverna nas nossas costas. Esta espécie, que mergulha para obter alimento, acaba, muitas vezes, por se enredar nas artes dos pescadores, aparecendo sem vida em quantidades apreciáveis nas praias portuguesas."

In http://www.portalpolar.com/index.php?option=com_content&task=view&id=156&Itemid=1

2008 - Priolo - Açores (28/05)


Caros bloguistas / filatelistas:
Continuando as oferendas de A Cris N., desta feita fomos presenteados com, o que considero até ao momento, dois dos melhores blocos emitidos, muito enriquecendo esta colecção.

"O Priolo é uma ave endémica de São Miguel. Em todo o mundo o Priolo apenas pode ser encontrado nesta ilha, na área mais oriental e montanhosa (concelhos de Povoação e Nordeste), encontrando-se entre as aves mais ameaçadas do Mundo, com uma população estimada inferior a 400 aves.

O Priolo é uma espécie protegida pela Directiva Europeia das Aves estando incluída em várias listas de animais ameaçados, quer ao nível nacional (Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal), quer ao nível internacional (IUCN Red List of Threatened Animals), razão pela qual foi criada a Zona de Protecção Especial (ZPE) Pico da Vara/Ribeira do Guilherme (Sítio da Rede Natura 2000), que abrange toda a área de distribuição da espécie, visando a sua protecção e conservação.

A BirdLife International considera o Priolo como uma espécie “globalmente ameaçada de extinção”. O Priolo é actualmente considerado o passeriforme mais ameaçada da Europa.Na área da ZPE ocorrem vários habitats de interesse comunitário incluídos na Directiva Habitats, salientando-se as Laurissilvas Macaronésicas, que constituem o habitat preferencial do Priolo.

Este tipo de habitats encontra-se actualmente extremamente ameaçado, estando reduzidos a bolsas de vegetação em zonas montanhosas de maior altitude no leste da ilha. Várias destas espécies vegetais são endémicas dos Açores e estão elas próprias ameaçadas (ex: Ginja-do-mato, Sanguinho, Cedro-do-mato).

O Priolo ocorre principalmente na área de vegetação nativa onde ainda encontra as plantas que lhe fornecem alimento, como o Azevinho e a Uva-da-serra. Esta vegetação representa apenas 20% da área total da ZPE (perto de 1000 ha) estando extremamente ameaçada pela progressiva invasão de diversas espécies de plantas exóticas, sendo as mais agressivas: a Cletra, a Conteira, o Incenso e o Gigante. Se não fossem tomadas medidas, a expansão destas espécies resultaria a curto prazo no desaparecimento das últimas manchas de floresta nativa e consequentemente na extinção do Priolo.

O Projecto LIFE Priolo iniciado em 2003 tem como objectivo criar as condições necessárias para evitar a extinção do Priolo. O Projecto, financiado pelo Programa LIFE da Comissão Europeia e por fundos do Governo Regional dos Açores, é coordenado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves que tem como parceiros a Câmara Municipal do Nordeste, a Universidade dos Açores, a Direcção Regional dos Recursos Florestais, a Secretaria Regional do Ambiente e do Mar e a Royal Society for the Protection of Birds (Birdlife no Reino Unido).

Todos trabalham com o objectivo de recuperar o habitat do Priolo, a floresta de Laurissilva, controlando a expansão das plantas prejudicais e permitindo à floresta nativa recuperar, para desta forma aumentar os recursos alimentares para o Priolo e assim evitar o seu desaparecimento."
In http://www2.ctt.pt/fewcm/wcmservlet/ctt/grupo_ctt/imprensa/imprensa/Imprensa94.html

2008 - Série 500 Anos da Cidade do Funchal (15/04)






Caros bloguistas / filatelistas:
Na realidade, ter bons amigos que conhecem os nossos hobbies e nos enchem de oferendas tão boas na altura do nosso aniversário ... melhor do que isto é impossível! Obrigada, Ana Cris N.



"A cidade do Funchal, na Região Autónoma da Madeira contará, desde Agosto de 2008, 500 anos de instituição como cidade pela coroa Portuguesa, a primeira a ser instituída nos vastos domínios dos Descobrimentos. A sua instituição atendia ao desenvolvimento operado com a florescente cultura açucareira e tinha ainda em vista, num curto prazo, separar o vasto território descoberto pelos portugueses da Ordem de Cristo. Pretendia-se assim criar no Funchal a sede de um vasto Bispado responsável espiritualmente pelos novos territórios das margens do Atlântico e do Índico."
In http://www.funchal500anos.com/


Continua esta colecção a pautar pelo exemplar grafismo, enaltecendo a alta qualidade dos nossos selos … de tal forma que, quando nos deparamos com selos de menor qualidade (cada vez mais raros), até estranhamos …

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

1997 - 500 anos da descoberta do caminho marítimo Índia (2º grupo)

Em plena viagem, Vasco da Gama faz escala em Natal.
"A 25 de Dezembro, passou ao largo da costa sul africana, atribuindo à região o nome de Natal, chegando à ilha de Moçambique a 1 de Março de 1498. Chegaria à cidade de Mombaça, no Quénia, a 7 de Abril."
(in http://memoriavirtual.net/tag/vascogama/)

Veja-se, também , entre outros:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Descoberta_do_caminho_mar%C3%ADtimo_para_a_%C3%8Dndia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cronologia_da_primeira_expedi%C3%A7%C3%A3o_portuguesa_para_a_%C3%8Dndia
http://carreiradaindia.net/index.php?s=b%C3%A9rrio


1996 - 500 anos da descoberta do caminho marítimo Índia (1º grupo)

O projecto para o caminho marítimo para a Índia foi delineado por D. João II (1481-1495), como medida de redução dos custos nas trocas comerciais com a Ásia e tentativa de monopolizar o comércio das especiarias. A juntar à cada vez mais sólida presença marítima portuguesa, D. João almejava o domínio das rotas comerciais e expansão do reino de Portugal que já se transformava em Império.

Porém, o empreendimento não seria realizado durante o seu reinado. Seria o seu sucessor, D. Manuel I (1495-1521) que iria designar Vasco da Gama para esta expedição, embora mantendo o plano original. Este empreendimento não era bem visto pelas altas classes. Nas Cortes de Montemor-o-Novo de 1495 era bem patente a opinião contrária quanto à viagem que D. João II tão esforçadamente havia preparado. Contentavam-se com o comércio da Guiné e do Norte de África e temia-se pela manutenção dos eventuais territórios além-mar, pelo custo implicado na expedição e manutenção das rotas marítimas que daí adviessem. Esta posição é personificada na personagem do Velho do Restelo que aparece, n'Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões, a opor-se ao embarque da armada.

El-Rei D. Manuel não era dessa opinião. Mantendo o plano de D. João II, mandou aparelhar as naus e escolheu Vasco da Gama, cavaleiro da sua casa, para capitão desta armada. Curiosamente, segundo o plano original, D. João II teria designado seu pai, Estêvão da Gama, para chefiar a armada; mas a esta altura tinham ambos já falecido.

A 8 de Julho de 1497 iniciava-se a expedição semi-planetária que terminaria dois anos depois com a entrada da nau Bérrio rio Tejo adentro, trazendo a boa-nova que elevaria Portugal, durante décadas, ao imortal prestígio marítimo.

Mais informações, a título exemplificativo:
http://www.infopedia.pt/que_newsletter.jsp?id=43#18272RR
http://www.caleida.pt/filatelia/

O bloco representa o sonho de D. Manuel I ...


1992 - Emissão Comemorativa do Centenário da Praça de Touros do Campo Pequeno em Lisboa

Lisboetas, alfacinhas, cidadãos:
Passados 16 anos da emissão deste bloco, podemos afirmar com alegria e um sorriso nos lábios que um dos grandes edifícios da cidade foi recuperado, parcialmente convertido e pode ser usufruido por todos... Alegremo-nos!

É um recinto para corridas de touros com capacidade para 9000 pessoas. Foi edificado em 1892, em substituição à praça que funcionou de 1831 a 1891 no Campo de Santana.
O calendário tauromáquico decorre no Verão. Noutros períodos, ocorrem outros eventos.
(ver http://www.campopequeno.com/)

A Praça de Touros do Campo pequeno foi construída em tijolo maciço de face à vista e foi alvo de um processo de reabilitação profundo no início do século XXI. A praça ficou com o seu primeiro anel alterado estruturalmente, passando a ser de betão armado, em detrimento dos arcos de tijolo existentes inicialmente. O anel exterior manteve-se inalterado a nível estrutural, tendo sido executadas reparações e reforços. Foram criados uma galeria comercial no subsolo e alguns espaços comerciais no piso térreo. A alteração mais significativa terá sido a cobertura amovível que torna a praça num espaço mais versátil, podendo ser utilizado durante todo o ano e para qualquer fim.
(in http://pt.wikipedia.org/wiki/Pra%C3%A7a_de_Touros_do_Campo_Pequeno)


1983 - Europa 83 - Madeira

Ah, as levadas! Que paisagem! Que beleza ...

Levadas são canais de irrigação na ilha da Madeira, cuja origem se deveu à necessidade de trazer grandes quantidades de água das vertentes orientadas a norte, onde abunda, para o lado sul da ilha, de mais fácil habitação e onde se situaram desde sempre a maioria das plantações, nomeadamente de cana-de-açúcar. As levadas começaram a ser construídas no século XVI, e as mais recentes datam da década de 1940, fornecendo água para centrais hidroeléctricas e também para fins de irrigação.
Estes canais têm, na Madeira, uma extensão superior a 1.400 km e são susceptíveis de ser percorridos a pé, sendo uma forma muito procurada de visitar locais da ilha, de grande beleza paisagística.
(in http://pt.wikipedia.org/wiki/Levada)

Quando forem à Madeira, não percam esta oportunidade de conhecerem de uma forma única a paisagem desta ilha!!!


1982 - Lubrapex

Caros / Caras:
Lubrapex é uma exposição de selos conjunta, entre Portugal e Brasil e outros países de expressão portuguesa.
Em 1982 ocorreu a sua 9ª Exposição.
Este bloco representa os modelos de aviões que serviram, durante 50 anos, como elo de ligação entre Portugal e o Brasil (entre 1922 e 1972).

Mais informações em
http://paginas.terra.com.br/lazer/filatelia77/lubrapex.htm
http://www.caleida.pt/filatelia/



1982- 5 Séculos do Azulejo em Portugal (8º grupo)

Eis o bloco do 8º selo.

Este azulejo, do séc. XVII, faz parte do revestimento da galeria superior do Claustro de Santa Auta, do antigo Convento da Madre de Deus.



Mais informações em http://www.mnazulejo-ipmuseus.pt/

1982- 5 Séculos do Azulejo em Portugal (5º a 8º grupos)

Caros filatelistas / bloguistas:

Mais um bloco de selos, da série azulejos, desta feita contendo o 5º, 6º, 7º e 8º selos (que cobre os sécs. XVI e XVII). Destes, apenas tenho o bloco do 8º selo (canto inferior direito).
Mais informações em http://www.caleida.pt/filatelia/


quinta-feira, 21 de agosto de 2008

1981 - Emissão Europa 81 (As Cavalhadas de S. Pedro) - Açores

Caros filatelistas / bloguistas:

Este selo (e respectivo bloco) teve como inspiração uma das nossas muitas festas típicas.

Desta feita, da Vila da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Açores, no dia 29 de Junho de cada ano, festejando-se S. Pedro (sendo o feriado municipal).

O motivo do selo em causa representa o traço principal do desfile: dois cavaleiros e respectivos cavalos, vestidos a rigor para o cortejo; cortejo esse anunciado a todos que circulará pela Vila por cornetas e guizos.

Mais pormenores em:


segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Faltas

Nesta mensagem, vou começar a coligir as minhas faltas ...

--> 1931/1933 - Santo António












--> 1999 - Profissões e Personagens Séc. XIX, 5º Grupo






--> 1999 200 Anos Nascimento Almeida Garret










--> 1999 75 anos Ligação Portugal Macau (selos)










--> 2004 - Natal







1983 - 5 Séculos do Azulejo em Portugal (10º Grupo)


Caros filatelistas / bloguistas:
De facto, o azulejo português é uma das nossas melhores artes decorativas ...

Desta feita, o motivo do azulejo é avulso, representando aqui várias espécies de aves, datando do século XVIII.

Nunca me canso de espreitar pelas frinchas de uma porta alta de madeira, ou por um portão, quando descortino pelo canto do olho um quadrado, depois outro, e mais outro, formando um padrão ou a parte de uma figura por ele representada... Mesmo correndo o risco de me dizerem que não posso ver... de me mandarem embora... de vedarem o acesso...

Revolta-me o facto de, por este país fora, ver monumentos e seus azulejos destruídos ou saqueados, pela cobiça dos que querem apenas para si o gozo ou fruição destes, nas suas casas espalhadas pelo mundo! Pois se há mercado para a sua venda, haverá sempre fornecedores dispostos a arranjar o produto pretendido...

Felizmente, existe muita informação sobre o azulejo. A título exemplificativo, alguns links:
http://www.oazulejo.net/main.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Azulejo

quarta-feira, 23 de julho de 2008

2001 - Emissão Comemorativa dos "100 anos do nascimento de Walt Disney"

Caros coleccionadores e bloguistas:

Eis mais uma contribuição de uma antiga colega de trabalho: Ana A., muito obrigada!



"Os CTT decidiram assinalar o centenário do nascimento de Walt Disney com uma série de nove selos de correio, todos no valor de 0,26 euros (53$00), que será lançada hoje. Walt Disney, de seu nome completo Walter Elias Disney, nasceu a 5 de Dezembro de 1901 em Chicago. Apaixonado pelo desenho desde novo, publicou as primeiras ilustrações humorísticas em jornais durante a Primeira Grande Guerra, enquanto trabalhava nas ambulâncias da Cruz Vermelha francesa. De regresso aos Estados Unidos, ingressou na Chicago Academy of Fine Arts, começando a trabalhar em publicidade e, depois de uma primeira experiência em cinema de animação, criou o seu próprio estúdio, o Laugh-O-Gram-Corporation, onde realizou diversas curtas metragens, entre as quais "Alice's Wonderland" em que combinava desenhos animados com personagens de carne e osso.

De Mortimer a Mickey

Em 1923, em associação com o irmão e o tio, funda os Estúdios Disney em Hollywood, e deixa a animação para se dedicar exclusivamente à produção. O seu primeiro sucesso seria "Oswald, the rabbit", mas um desentendimento com o detentor do nome de Oswald, levou-o a procurar um outro animal capaz de agradar ao público. A escolha recaíu num rato, inicialmente baptizado como Mortimer, mas cujo nome foi depois mudado para Mickey Mouse. Em 1928, seria o protagonista de "Steamboot Willie" uma curta-metragem... sonora que teve sucesso imediato. Devido a isso, um ano mais tarde o King Features Syndicate propôs a adaptação de Mickey a banda desenhada, começando a tira diária a ser publicada a 13 de Janeiro de 1930, desenhada por Ub Iwerks, mas já simplesmente assinada Walt Disney. Era o início de uma produção industrial e anónima, distribuída um pouco por todo o mundo, que levaria a que o seu nome fosse muitas vezes associado à banda desenhada, arte em que nunca trabalhou, e a personagens que não foram criados por si, mas sim pelos seus estúdios, por autores obrigados a permanecer no anonimato. Carl Barks, o criador do Pato Donald, ou, mais recentemente, Don Rosa, foram dos poucos que conseguiram autorização para assinarem as criações com o próprio nome."

(excerto retirado de http://www.bedeteca.com/index.php?pageID=recortes&recortesID=74).

De notar que o motivo de fundo utilizado para acompanhar cada uma das personagens provém do nosso afamado azulejo ...

Outros países que emitiram selos de Walt Disney e das suas criações: http://www.girafamania.com.br/artistas/personalidade_disney.html

2003 - UEFA EURO 2004 - selo oficial

Caros coleccionadores e bloguistas:

Esta inserção na minha colecção virtual visa agradecer, do fundo do coração, os meus amigos/as, conhecidos/as, colegas … que, alguns já não os vendo ou falando há algum tempo, se lembram de mim e desta colecção. Em especial, a Luísa P. que, quando soube que era coleccionadora de selos, me ofereceu esta edição especial.

Bem hajam ela e todos vós que, num simples gesto de não deitar para o caixote do lixo os envelopes / postais antigos ou novos, enviando-os ou entregando-os a mim têm contribuído para esta colecção!!!!


domingo, 15 de junho de 2008

1931 /1933 - 7º centenário da morte de Santo António de Lisboa (1933 - com sobretaxa)

Caros bloguistas, filatelistas:

Finalmente, consegui ter mais alguns desta colecção! Mas, ainda não como queria (todos os selos sem sobretaxa). No entanto, nada mal. Lá chegarei...

É uma colecção de seis selos, emitidos em 1931, comemorativos do 7º centenário da morte de Santo António de Lisboa.

Em 1933, para aproveitarem as enormes sobras, foram sobretaxados nas taxas mais necessárias.

Os motivos que representam são os seguintes:

$15 - quarto onde nasceu Santo António, na sua casa em Lisboa, junto à Igreja de Santo António da Sé;


$25 - Pia Baptismal existente na Sé de Lisboa, onde foi bapizado Santo António;


$40 - Sé de Lisboa em cuja escola foi estudante o jovem Fernando Martins de Bulhão;


$75 -Imagem de Santo António com o Menino Jesus, que está na respetiva Igreja de Santo Anónio em Lisboa;


1$25 - Igreja de Santa Cruz de Coimbra, onde Santo António completou os estudos superiores;


4$50 - túmulo das relíquias de Santo António na Catedral de Pádua.


Quanto a 1933, sobretaxados, tenhos os seguintes:







Os que faltam estão referenciados em 1- Faltas.

Até à próxima!

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Vultos da História e da Cultura - 18/4/08

Caros bloguistas:

Aqui estão os meus primeiros selos de 2008.

Estou a gostar imenso desta modalidade de venda de selos disponibilizada pelos CTT - os Packs's disponíveis em qualquer estação de correios ganharam uma fã!!!!
Nesta colecção, os eminentes portugueses estão caracterizados em jeito de caricatura ligeira, com boa disposição e um excelente grafismo: Padre António Vieira, José Mascarenhas Relvas, Ricardo Jorge, Aureliano Lopes de Mira Fernandes, Maria Helena Vieira da Silva e Manoel Cândido Pinto de Oliveira (por ordem de imagens).

Espero que gostem tanto como eu!

Bons selos!